Gestores e especialistas expõem suas experiências com desenvolvimento de Cidades Inteligentes.

por Antonio Daniel da Silva publicado 18/05/2017 11h40, última modificação 18/05/2017 11h40

Aliar tecnologia e informatização com o social é um dos segredos para se desenvolver uma cidade inteligente. A fórmula para conseguir esse conjunto foi o principal tema da plenária Cidades Inteligentes, promovida na manhã desta quinta-feira, 18 de maio, durante a XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

Os convidados a palestrar se dividiram em três temas de painéis: promoção das cidades inteligentes; experiência local de inovação; e software público brasileiro. A ideia é que, dessa forma, temas que representam os principais desafios dos Municípios brasileiros, a pensar demandas estruturais relacionadas ao meio ambiente, mobilidade urbana e geração de energia, estivessem contemplados.

Os palestrantes representavam experiências de governos locais, empresas e entidades envolvidos com ao planejamento urbano e sustentável de cidades. Este foi o caso, por exemplo, do diretor-executivo da Arnaiz & Partners, Leopoldo Arnaiz, urbanista e professor universitário.

Segundo ele, o uso de tecnologia tem que caminhar junto com a criação de cidades inteligentes e pairam sobre a organização social. “Os aspectos físicos e sociais tem que se estruturar para o desenvolvimento da cidade”, disse ele.

Para Arnaiz, a administração de um Municípios tem que ser pensada de forma integrada, definindo uma estrutura de organização da administração com áreas base – política, jurídica financeira e seguridade – e áreas de desenvolvimento – econômica, social, urbanística e serviços urbanos.

 

Publicado em CNM, por Blog CNM.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.